Adaptação de Lentes de Contato

Saiba qual a melhor forma de começar a usar.

O uso de lentes de contato requer uma avaliação médica criteriosa, além de uma série de cuidados posteriores e acompanhamento clínico regular. O seu uso deve ser uma alternativa ao uso dos óculos, beneficiando pacientes com miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia que optam pelas lentes por questões estéticas ou funcionais.

Pessoas com alto grau de distorções visuais e que usam óculos de lentes grossas frequentemente optam pelo uso de lentes de contato. Elas também são usadas por quem precisa de cuidados com a córnea, como cicatrizes, acidentes ou em casos pós-operatórios. Para quem tem grau muito alto em apenas um dos olhos, por exemplo, usar lentes é o mais indicado.

As etapas para começar a usar lentes de contato são essas:

  1. Consulta com um oftalmologista especialista em lentes de contato
  2. Realização de exames para avaliação do paciente e do olho para saber se pode usar lentes.

Há dois tipos de lentes de contato:

  1. Rígidas: são encomendas pelo consultório clínico e podem provocar desconforto, como lacrimejamento e sensação de cisco no olho. Exigem um período de adaptação, essencial para que a córnea se “acostume” à presença da lente. São indicadas especialmente para pacientes com ceratocone (distrofia contínua e progressiva da córnea) ou astigmatismo irregular (como casos de perfuração da córnea) e provocam menos riscos à saúde do que as gelatinosas.
  2. Gelatinosas: podem ser compradas pelo paciente, após consulta médica. Sua adaptação é mais fácil, mas 90% das infecções no olho são causadas pelo mau uso de lentes gelatinosas. Se não houver o período de adaptação, a lente for de má procedência ou se a higienização for inadequada, aumentam as chances de danos ao olho. O médico deve avaliar a lente e o início do seu uso.

A curto prazo o prejuízo pelo mau uso de lentes são as infecções e o surgimento de uma úlcera de córnea. A longo prazo, se não retirada do olho regularmente, principalmente ao dormir, os danos por falta de oxigênio na córnea podem causar cegueira, já que a córnea não se regenera. Portanto, para usar lentes de contato, é essencial o acompanhamento médico.